Home / Noticias Blog / Pedalando por uma Curitiba mais sustentável

Pedalando por uma Curitiba mais sustentável

Para quem mora em grandes cidades ou no seu entorno, uma
reclamação é comum: o trânsito. Em Curitiba, a frota de veículos bateu recorde
em março do ano passado, atingindo a marca inédita de 1,4 milhões de veículos
em circulação na capital. Ou seja, 19,5% do total de veículos de todo o Paraná
está na capital. Com tantos carros nas ruas, vários problemas aparecem: vias
lotadas que aumentam o tempo de deslocamento, aumento na emissão do gás
carbônico na atmosfera e maior risco de acidentes são alguns deles.

Essa é sua matéria grátis do dia. Assine agora e tenha acesso ilimitado.R$ 0,99 no 1º mês

O tema mobilidade foi o escolhido pela professora Micheli
Barbara Soares Panzarini e seus alunos do 5º ano da Escola Municipal Sady
Souza, em Curitiba, para desencadear diversas situações de aprendizagem durante
todo o ano de 2019. Os estudantes mapearam quais consideravam os maiores
problemas do bairro e dentre os assuntos destacados, a mobilidade ganhou um
destaque especial.

A partir disso, a professora trabalhou com algumas matérias
de jornal, afim de provocar os alunos a pensarem mais sobre o tema, e foi
durante a discussão do texto “Greca
anuncia implantação de mais um binário em Curitiba
” que uma das
crianças relatou já ter passado pela região citada e notado a existência das
ciclovias, mas que não havia visto essas pistas na região da escola, que fica
localizada no bairro Sítio Cercado.

A união faz a força!

Após decidirem entender um pouco mais sobre a falta de
ciclovias na região e a utilização das bicicletas no dia a dia a turma começou
a procurar soluções viáveis para ajudar a resolver esta questão. A professora então
entrou em contato com duas Organizações da Sociedade Civil (OSC) que atuam em
defesa dessa causa, o Grupo de ciclismo PERSEGUE e a CicloIguaçu.

As ações da turminha tiveram início com uma palestra
realizada pela PERSEGUE, onde os estudantes receberam informações sobre
ciclismo, cidadania e os cuidados necessários ao pedalar. Empolgadas com este
primeiro passo, decidiram conscientizar a comunidade, promovendo a Pedalada da
Conscientização, um momento envolvendo famílias, estudantes e funcionários da
escola.

Enquanto se preparavam para o grande dia, os estudantes
tiveram mais uma palestra, com o ciclista Fernando Rosenbauwn, representante da
OSC Cicloiguaçu, que esteve na escola para conversar com as crianças sobre a
importância da bicicleta na mobilidade curitibana e ainda apresentou para os
alunos a sua bike dobrável, que facilita seu deslocamento pela cidade,
permitindo que leve sua bicicleta até mesmo dentro dos ônibus da cidade. As
crianças ficaram encantadas com a conversa e entenderam melhor a diferença
entre ciclovias, ciclofaixas e ciclorotas, percebendo as várias formas de se
utilizar este meio de transporte alternativo em meio ao trânsito das grandes
cidades.

Chegado o dia tão esperado, alunos, familiares e membros da
comunidade se reuniram na escola para a grande Pedalada. O grupo PERSEGUE
esteve presente mais uma vez, agora com a função de acompanhar o passeio e
orientar a todos os participantes sobre as medidas de segurança, sinais
utilizados pelos ciclistas e a rota que deveriam seguir. Segundo a professora
Micheli, toda essa movimentação agitou a região. “As pessoas ficaram impactadas
pelo movimento de bikes no bairro, pois nunca tinham visto algo assim. Muitos
curiosos passavam pelo grupo e perguntavam o que estava acontecendo”, disse a
professora que contou também que aproveitou a curiosidade dos moradores para
entregar panfletos informativos, cedidos pela OSC CicloIguaçu.

Para a professora, todo mundo saiu ganhando. “A comunidade
teve a oportunidade de lançar um novo olhar sobre a mobilidade do bairro. Pais
e filhos perceberam o quanto é urgente mudar de comportamento, deixando para as
gerações presentes e futuras um lugar melhor para se viver. Professores e
equipe observaram que é possível implementar ações para além dos muros da
escola, criando um elo de aprendizagem significativo com toda a comunidade.
Acredito que o maior ganho foi que todos compreenderam que ideias podem
transformar vidas, ou seja, pode ser o começo de uma revolução do bem para a
região”, enfatizou.

Com esta grande ideia, que se transformou numa linda
atitude, a professora Micheli foi uma das 10 melhores professoras do Ler e
Pensar 2019, garantindo o 8º lugar na votação popular realizada pelo Projeto com
os mais de 12.500 votos.


Source link

Sobre Hidro Curitiba

Verifique também

Por que toda empresa deve ter um 'plano de gerenciamento de resíduos perigosos'

Os 5 principais benefícios de usar uma empresa de Desentupidora Curitiba de carpetes ecológica

Duto entupido: razões para contratar uma Desentupidora Curitiba especializada uma vez que a Desentupidora Curitiba …

Call Now Button